Confira as principais notícias

Indústria 4.0: Conheça os principais pilares

20/01/2020 - Fonte: Jornal Contábil

A indústria 4.0 envolve diversos avanços tecnológicos, e esse conjunto quando sincronizado resultou em um avanço até então jamais visto, desde 2013 quando foi criado na Alemanha até então já houve diversos passos para a popularização dessa revolução.

É importante ressaltar as demais revoluções industriais, antes da primeira revolução industrial, toda a produção do mundo era manual, e então veio as primeiras máquinas a vapor.

Na segunda revolução a energia a vapor foi substituída pela energia elétrica, e as máquinas tornaram-se muito menores e mais produtiva.

E a última grande revolução foi significativa pela automação das máquinas, e o início da aplicação da informática, dando poder de “personalização” na linha de produção.

- O que é Indústria 4.0
A indústria 4.0 é um marco no eixo da indústria, que caminha para automação em todos os seus processos, trazendo ganhos para a empresa uma vez que todos os seus processos ganham produtividade e a sua lucratividade aumenta exponencialmente.

Os colaboradores ganham com o aumento da segurança e a diminuição do esforço físico em muitos processos, liberando para que o ser humano desenvolva atividades profissionais ligados ao intelecto.

A revolução industrial se apoia em três grandes pilares essenciais para aplicação, e a seguir vamos nos aprofundar em cada um deles

- Internet das Coisas e Big Data Analytics

A internet das coisas é a integração de rede para objetos físicos, ambientes, veículos, máquinas e dispositivos, possibilitando a troca de dados, e o Big Data Analytics é a estrutura de dados que utiliza ferramentas complexas de captura, análise e gerenciamento de captura, agindo como um cérebro.

Na indústria o funcionamento desses itens ocorre da seguinte forma, a internet das coisas integra informações dos sensores espalhados na linha de produção, gerando e transmitindo informações de status do processo, e o Big Data Analytics processa esses dados buscando melhorias no processo.

Vamos imaginar um exemplo prático, alguns processos industriais que utilizam água são obrigados a fazer o tratamento dessa água, esse processo de tratamento é realizado numa estação de tratamento de efluentes, algumas empresas possuem essa estação outras terceirizam.

Com a aplicação da Internet das coisas integrada a Big Data Analytics o sistema pode acompanhar o volume de resíduos efluentes gerados, e já iniciar o processo de tratamento conforme a necessidade e demanda, sem desperdício.

- Robôs autônomos e avanços tecnológicos

A robótica é responsável pela ação, aliás o principal conceito de máquinas hoje está na relação entre sensores, processamento e atuação, no tópico anterior abordamos a capacidade dos sensores e processamento, e esse conjunto comanda a operação dos
robôs autônomos.

Entretanto, esse momento do processo é delicado, pois a grande desvantagem de robótica está na “inexperiência”, isso porque, o ser humano ganha experiência com o trabalho.

E os robôs também ganham experiência, para isso ferramentas de simulação são aplicadas, utilizando dos dados reais dos processos, e da experiência dos desenvolvedores para criar “alternativas” para problemas, utilizando de ambientes de realidade aumentada e impressão 3D.

Vamos imaginar que em um shopping que utiliza o sistema de Fan Coil para a refrigeração, que gera um alto volume de manutenção de
chiller para que funcione perfeitamente, o sistema pode acompanhar o desempenho do equipamento, e por meio de ferramentas como essas, já definem toda a atuação da equipe de manutenção previamente.

Ou então uma empresa que faz revestimento de cilindros, pode ter como vantagem a sua experiência sistêmica, para definir quais são os tratamentos adequadas para as aplicações, preparando a produção para realizar os processos de maneira uniforme e com total qualidade.

- Segurança Cibernética

O aumento da segurança é um dos maiores desafios da quarta revolução industrial, e diz respeito à criação de sistemas da informação mais seguros.

Pois, a falha na comunicação entre máquinas ou mesmo possíveis travas no funcionamento dos sistemas automatizados causam problemas à produção.

Outras Notícias